Bíblia do Caminho Seção Temática

Epístolas de São Paulo a Timóteo



1ª Ep. a Timóteo2ª Ep. a TimóteoEpístolas Pastorais

Primeira Epístola a Timóteo W


A Primeira Epístola do Apóstolo Paulo a Timóteo foi escrita após o apóstolo ver-se livre do seu primeiro encarceramento romano, reassumindo seu trabalho missionário (cp. Paulo). Timóteo tinha sido deixado encarregado da igreja de Éfeso enquanto Paulo entrou na Macedônia (1 Tm 1.3). Muitos supõem que a epístola foi escrita na Macedônia, mas isso de modo algum está esclarecido.  Deve ser designada provavelmente para o A. D. 64 ou 65. Trata das dificuldades eclesiásticas confrontadas por Timóteo, e dá-lhe conselho pessoal. Evidencia o interesse do apóstolo pelos trabalhos práticos da igreja e seu interesse pessoal no próprio bem estar e êxito de Timóteo. Seu conteúdo pode ser organizado como segue: 1. As instruções a respeito da igreja (1 a 3), incluindo avisos contra os falsos mestres (1), instruções concernentes à adoração (2), instruções relativas aos oficiais de igreja, encerrando com uma breve declaração da dignidade da igreja e as verdades fundamentais em que repousa (3). 2. Avisos e orientações a Timóteo (4 a 6), com respeito às falsas doutrinas e erros práticos que ele deveria enfrentar (4), e sobre o tratamento devido às várias classes de pessoas na igreja (5.1 a 6.2), seguidas por exortações finais, em parte de caráter pessoal, e em parte em reforço às instruções precedentes (6.3-21).


Segunda Epístola a Timóteo


A Segunda Epístola de Paulo, o Apóstolo, para Timóteo foi escrita de Roma depois que o apóstolo havia sido preso uma segunda vez, A. D. 67. É o último produto de sua pena. Fala de si como um prisioneiro (2 Tm 1.8, 16; 2.9), acusado de ser um malfeitor (2.9), e esperando para logo sofrer o martírio (4.6). Muitos de seus amigos tinham-no deixado (1.15; 4.10,12). Só Lucas, dos seus amigos anteriores, estava com ele (4.11), embora houvesse reunido outros amigos à sua volta (.21). Ele já havia tido um julgamento, em que não tinha sido condenado (16,17), mas ele estava ainda esperando outro julgamento. Em sua solidão e perigo seu coração voltou-se para Timóteo, e esta carta foi escrita em parte para encorajar Timóteo em seu trabalho como evangelista e em parte para persuadi-lo apressar-se ir a Roma e executar alguns serviços pessoais para o apóstolo. Pode ser dividido como segue:

1. Depois de breve introdução, expressa seu desejo de ver Timóteo e sua confiança nele (1.1-5), persuade-o a ser corajoso apesar das provações existentes (6-12), e ser fiel à verdade que tinha recebido apesar de todos os oponentes (13-18).

2. Cobra fortaleza de Timóteo; assegurando a preservação da verdade; ser um bom soldado; não esquecer os fundamentos imperecíveis de fato e verdade em que o evangelho repousa; evitar o ensino falso; e dar atenção à própria vida espiritual (2).

3. Adverte-o de que os erros aumentarão, e lembra-lhe o exemplo de resistência firme que ele, Paulo, tinha-lhe mostrado, e o ensino das Escrituras inspiradas em que ele tinha sido instruído (3).

4. Como sua última orientação, recomenda-o pregar a palavra e dar plena prova do seu ministério (4.1-5), acrescentando solenemente que ele estava à beira da morte, regozijando-se de tê-lo podido fazer (6-8). A epístola então termina com algumas orientações pessoais (9-22).


Sobre essa última carta a Timóteo vide (Pe)

Vide mais sobre a epístola a Timóteo nos Estudos Espíritas.


Epístolas Pastorais W


As epístolas a Timóteo e a Tito são chamadas, por seu conteúdo, de epístolas pastorais. Os críticos racionalistas se recusam a acreditar que Paulo escreveu-as, ao menos em sua forma atual; mas a evidência de que a igreja da era pós-apostólica recebeu-as como paulinas é abundante, e é bem natural que os anos finais do ministério do apóstolo, deviam ser ocupados com os casos práticos das igrejas. Estas epístolas ensinam as mesmas doutrinas quais as encontradas em outros escritos de Paulo, com tão só ênfase adicional aos aspectos práticos da fé cristã como as situações indicaram; e Paulo não seria o homem de visão ampla que nós conhecemos que foi, se ele não houvesse se preocupado, como fez nestas epístolas, com a organização das igrejas que ele devia logo deixar. G. T. P.  — (Dicionário da Bíblia de John D. Davis©


.

Abrir