Bíblia do Caminho Seção Temática

Epístolas de São Paulo aos Tessalonicenses


1ª Ep. aos Tessalonicenses — 2ª Ep. aos Tessalonicenses

Primeira Epístola aos Tessalonicenses


A Primeira Epístola para os Tessalonicenses é a mais antiga das epístolas do Apóstolo Paulo. Foi escrita pelo apóstolo juntamente com Silvano (Silas) e Timóteo, à igreja em Tessalônica. Paulo tinha fundado esta igreja em sua segunda viagem missionária, e tinha se dirigido de Tessalônica a Bereia e daí a Atenas, devido à perseguição dos judeus; veja Paulo. A epístola contém alusões (1 Ts 2) à sua vida em Tessalônica. Também relaciona que quando estava em Atenas, ele havia enviado Timóteo de volta a Tessalônica para encorajar os cristãos em suas perseguições (3.1-3) e que Timóteo recentemente lhe havia trazido boas notícias de sua firmeza. Em Atos 18.5 podemos ver que Silas e Timóteo reuniram-se ao apóstolo em Corinto. Consequentemente a epístola foi escrita dessa cidade, provavelmente no ano A. D. 52. As alusões que a epístola contém da vida de Paulo em Tessalônica e à angústia sentida pelos tessalonicenses pela morte de seus amigos, como também o caráter elementar da instrução dada, confirma esta data. Aí parece existir três características especiais na condição dos tessalonicenses que produziu ansiedade ao apóstolo, e levou-o a escrever esta epístola: (1) Uma tendência a negligenciar seus trabalhos diários, provavelmente sob a ideia de que o segundo advento logo aconteceria, e com isto às vezes havia uma falha em preservar a pureza moral da vida; (2) aflição por seus amigos cristãos que morreram e não conseguiram gozar as glórias do reino que o retorno do Cristo ia estabelecer; (3) Conflitos entre os oficiais regulares da igreja e aqueles que possuíam dons milagrosos do Espírito. Então a análise da epístola: 1. Uma grata declaração de seu zelo cristão, sua resistência às provações, e da influência que tinham já exerciam sobre outros cristãos (1). 2. Uma lembrança da simplicidade e diligência quando ele tinha vivido entre eles, e do entusiasmo com que eles tinham recebido sua pregação, mesmo perante a perseguição dos judeus (2). 3. Um recital da alegria que ele tinha tido em vista do bom relatório de Timóteo sobre a condição deles (3). 4. Instruções sobre pontos especiais (4.1 a 5.24): (a) A respeito da pureza nas relações sexuais (4.3-8). (b) Relativas à cordialidade e a uma vida de amor recíproco (9-12). (c) Concernente aos crentes mortos, declarando que, no advento, eles se levantarão primeiramente, e ressuscitarão para encontrar o Senhor nos ares, e assim não falhará sua recompensa (13-18). (d) Relativo à vigilância e à moderação na vida (v. 1-11). (e) Do respeito pelos oficiais da igreja, e da consideração para com suas necessidades, do cultivo de prendas espirituais, e outros deveres da vida cristã (12-24). 5. Palavras finais (25-28).

A epístola notavelmente ilustra as dificuldades naturais de uma igreja gentil recentemente formada e a larga sabedoria prática das instruções do apóstolo.


Segunda Epístola aos Tessalonicenses


A Segunda Epístola de Paulo, o Apóstolo, aos Tessalonicenses seguiu-se evidente à primeira após um curto período. Deve ser designada, portanto, quando muito, para o A. D. 52, e foi escrita em Corinto. Através dela aprendemos que as dificuldades dos Tessalonicenses tinham-se tornado mais sérias, mas eram ainda do mesmo caráter geral àquelas lidadas na primeira epístola. Como a primeira, ela foi escrita por Paulo junto a Silvano (Silas) e Timóteo; trata em sua maior parte do segundo advento  e das concepções erradas sobre isto; e refere-se novamente à propensão de alguns pela vida desordenada (2 Ts 3.6-12). Se, entretanto, na primeira epístola tratou da relação do advento com os crentes, na segunda trata de sua relação para com os maus (1.5-10). Não obstante o apóstolo adverte-os não supor que “o dia do Senhor esteja tão próximo” (2.2), mas que o advento visível logo viria; porém, antes dele ocorrer, devia haver a apostasia (predita pelo Cristo, cp. Mt 24.9-12; e referida por Paulo nos Atos 20.29,30; Rm 16.17-20; 2 Co 11.13-15; 1 Tm 4.1 e a revelação do anticristo (2 Ts 2.3,4; Dn 7.25; 11.36; I Jo 2.18) a quem o Senhor destruirá em seu vinda. Quando esteve com eles, contou-os estas coisas (2 Ts 2.5). A epístola pode ser dividida como segue: 1. Ação de graças por sua fidelidade frente as perseguições, e a garantia de que essa perseguição só deve fazer fortalecer sua fé na justificação dos santos e no castigo dos ímpios que acontecerá no segundo advento (1). 2. Advertência contra o supor que “o dia do Senhor houvesse chegado,” e a descrição da apostasia e do crescimento do anticristo, que devia preceder a vinda do Senhor (2.1-12). 3. Expressão da sua confiança em sua eleição e fidelidade (13-17). 4. Exortações finais, pedindo que orem por ele, que evitem aqueles que são desordenados, que eles sejam diligentes e fiéis, que todos submetem-se à autoridade exercida por ele como um apóstolo, etc. (3). Em 2.2 dá a aparência de que uma carta apócrifa de Paulo tinha aí circulado; consequentemente em 3.17 ele anexa sua assinatura. Nós vemos assim que desde o princípio a igreja reconheceu a autoridade do apóstolo nas cartas como em seu ensino oral. As declarações relativas à apostasia e ao anticristo tem tido várias interpretações.  Nós pensamos ser mais provável que a apostasia era contemplada por Paulo como surgindo dentro da igreja; o anticristo como encarnando uma pessoa na culminação da apostasia; que ele será manietado (2.7) como qualquer um, pelo poder civil, ou então, e com muita probabilidade, pelo Espírito Santo. G. T. P. (suplementou).


A Primeira Epístola aos Tessalonicenses está incluída na antiga versão latina; é listada no fragmento Muratório; é citada por Ireneu, que a atribui a Paulo, e designa-a como primeira carta aos Tessalonicenses; é também citada por Clemente de Alexandria que a atribui a Paulo; e é citada por Tertuliano sob o nome de Tessalonicenses. Sem dúvida a citação da Segunda Epístola é encontrada ainda mais cedo, ocorrendo nos escritos de Policarpo no começo do segundo século e talvez nos trabalhos de  Justino Mártir.  — (Dicionário da Bíblia de John D. Davis©


Vide mais sobre a epístola aos tessalonicenses nos Estudos Espíritas.

Vide: Introdução à Primeira Carta aos Tessalonicenses e também: Introdução à Segunda Carta aos Tessalonicenses


.

Abrir