Bíblia do Caminho Seção Temática

Páscoa


(AFORISMOS)




Páscoa [Passagem; em inglês Passover (passing over: ignorando, preterindo) (Ex 12. 23; Antig. 2. 14, 6)]. W


A primeira das três festas anuais em que todo varão deveria comparecer ao santuário (Ex 12.43; Dt 16.1), conhecida também como a festa dos pães asmos (Ex 23.15; Dt 16.16). Foi instituída no Egito para comemorar o evento culminante na redenção dos israelitas (Ex 12.1,14,42; 13.15; Dt 16.1,3). Aquela noite era para ser muito celebrada perante o Senhor, quando ele golpeou todo primogênito na terra do Egito, mas preteriu os primogênitos das casas israelitas onde o sangue tinha sido borrifado e onde seus ocupantes, de prontidão, permaneciam aguardando o sinal da libertação prometida pelo Senhor. A festa começava no décimo quarto dia do mês de abide à noite, isto é, no princípio do décimo quinto dia, com a refeição sacrificial (Lv 23.5). Um cordeiro ou cabrito era morto à noite, isso é, em direção do ocaso (Ex 12.6; Dt 16.6), entre as nove e onze horas. Era assado todo, e comido com pães asmos e ervas amargas [almeirão, por exemplo] (Ex 12.8). O sangue derramado representava expiação, as ervas amargas simbolizavam a amargura do cativeiro egípcio, os pães asmos era um emblema da pureza (cp. Lv 2.11; 1 Co 5.7,8), os israelitas aparando o sangue, recordava as aflições de que esperaram libertação; longe da maldade, era o povo do Senhor em alegre e sagrada comunhão diante dele. A ceia era partilhada pelos membros de toda casa. Se a família era pequena, vizinhos uniam-se a ela até que a companhia era suficientemente grande para consumir o cordeiro inteiro (Ex 12.4). O chefe da casa recitava a história da redenção. Na primeira instituição em tempos mais antigos os participantes permaneciam reclinados.(…) — (Dicionário da Bíblia de John D. Davis© — (Continue a pesquisa sobre a celebração da Pessach na época do Segundo Templo judeu em Jerusalém, e sobre as observâncias da Pessach após a destruição do Segundo Templo, na W)


AFORISMOS E CITAÇÕES

.

Abrir