Bíblia do Caminho Súmulas Biográficas

Neemias



Neemias [Jeová tem consolado]. W


1. Um dos principais homens que retornaram da Babilônia com Zorobabel (Ed 2.2; Ne 7.7).

3. Um judeu do cativeiro, filho de Hacalias (Ne 1.1). Exercia funções de copeiro a Artaxerxes Longímano; rei da Pérsia, quando o rei observou que ele parecia triste, e interrogou-o quanto à causa da sua tristeza. Neemias falou-lhe francamente que era o estado de ruína que se encontrava Jerusalém, a cidade do sepulcros de seus pais. Ele então implorou permissão para ir e construir novamente os muros da cidade. O rei lhe concedeu uma escolta de cavalaria para a viagem, lhe deu cartas que o recomendavam a propósito a vários governadores Persas, e designou-o governador de Judá, como Zorobabel havia sido (Ne 1.1 até cap. 2.9; 5.14). Ele chegou a Jerusalém no vigésimo ano do reinado de Artaxerxes, 445 A. C. O sacerdote Esdras já estava na capital Judia, tendo vindo da Babilônia treze anos antes. Neemias alcançando a capital, fez uma jornada de noite em torno da cidade e viu os muros arruinados. Anunciando sua intenção de reconstruir os muros, intimou então o povo, solicitando-lhe ajuda ativa. Eles fizeram-no de boa vontade, cada homem notável empreitando uma parte do muro (Ne 3). As tribos vizinhas dos gentios não gostaram de ouvir que Jerusalém estava sendo reconstruída, e três de seus representantes, Sanballat, o Horonita, Tobias, um Ammonita, e Geshem, um árabe, interpuseram esforços ativos para suspender a obra; mas eles não puderam faze-lo ou sequer intimidar Neemias, que prosseguiu resolutamente seu curso. Os construtores também vigiavam contra um ataque súbito, trabalhando com uma mão enquanto que com a outra eles portavam uma arma (2.10; caps. 4 a 6). Os muros foram reconstruídos dentro de cinquenta e dois dias (6. 15), no ano 445 A. C., 70 anos depois que o templo havia sido completado. A atenção logo voltou-se à instrução do povo (8), e seguiu-se um renascimento religioso que levou a todos os homens principais, os sacerdotes e o povo selarem um pacto de adoração a Jeová com Neemias (9 e 10). Depois de governar Judá por doze anos Neemias retornou a Susa, em 433 A. C. Ele solicitou licença adicional (13.6,7), e, retornando a Jerusalém parece tê-la governado pelo resto de sua vida, tentando impor a lei de Moisés contra toda e qualquer forma passada de culto (13.8-31). Josefo declara que ele morreu numa idade bem avançada (Antig. 11. 5-8). Sucedeu-lhe oficialmente Bagohi, em 411 A. C. (Papiros de Elefantino). Para sua conexão com a formação do cânon, veja CÂNON. — (Dicionário da Bíblia de John D. Davis©


.

Abrir