Bíblia do Caminho Testamento Xavieriano

Cartas do Evangelho e outros poemas — Casimiro Cunha — 1ª Parte


1


Carta de Natal

  1 Meu amigo. Não te esqueças.

  Pelo Natal do Senhor

  Abre as portas da bondade

  Ao chamamento do amor


    2 Reparte os bens que puderes

    Às luzes da devoção.

    Veste os nus

    Consola os tristes,

    Na festa do coração.


  3 Mas não olvides tu mesmo,

  No banquete de Jesus,

  Segue-Lhe o exemplo divino

  De paz, de verdade e luz.


    4 Faze um novo compromisso

    Na alegria do Natal,

    Pois o esforço de si mesmo

    É a senda de cada qual.


  5 Sofres? Espera e confia.

  Não te furtes de lembrar

  Que somente a dor do mundo

  Nos pode regenerar.


    6 Foste traído? Perdoa.

    Esquece o mal pelo bem.

    Deus é a Suprema Justiça.

    Não deves julgar ninguém.


  7 Esperas bens neste mundo?

  Acalma o teu coração.

  Às vezes, ao fim da estrada

  Há fel e desilusão.


    8 Não tiveste recompensas?

    Guarda este ensino de cor:

    Ter dons de fazer o bem

    É a recompensa melhor.


  9 Queres esmolas do Céu?

  Não te fartes de saber,

  Que o Senhor guarda o quinhão

  Que venhas a merecer.


    10 Desesperaste? Recorda,

    Nas sombras dos dias teus,

    Que não puseste a esperança

    Nas luzes do amor de Deus.


  11 Natal!… Lembrança divina

  Sobre o terreno escarcéu…

  Conchega-te aos pobrezinhos

  Que são eleitos do céu.


    12 Mas ouve, irmão! Vai mais longe

    Na exaltação do Senhor.

    Vê se já tens a humildade —

    A seiva eterna do amor.


.Casimiro Cunha



Essa é a 52ª lição do livro “Antologia Mediúnica do Natal”, editado pela FEB em 1966.


Citação parcial para estudo, de acordo com o artigo 46, item III, da Lei de Direitos Autorais.

.

Abrir